Eu e a escrita numa dança só nossa, numa caracterização profunda. *

22:49 Pedro Miguel SIlva Macedo. 2 Comments







 
Talvez a escrita seja a maneira mais hábil que eu encontro de citar o que sinto sem me privar de expor a minha essência por isso hoje as palavras vão entrelaçar-se entre os meus dedos e assim lentamente vão me transportar para uma dimensão onde não me acobardo para me expressar.
Desde que me conheço, que sei de ginjeira que o meu maior ponto fraco é a minha vulnerabilidade que eu oculto por ser excessiva, dramática, intensa, devido a isso silêncio a minha faceta mais susceptível porque temo sofrer..
Receio que as pessoas me tentem manipular usando as minhas susceptibilidades contra mim, não quero que isso ocorra para evitar desgastes emocionais e decepções desnecessárias, prezo demais a minha liberdade para me tornar dependente de alguém, que Deus me tire o juízo mas que jamais alguém consiga dominar-me emocionalmente através de carências, jogos psicológicos ou outras artimanhas.

2 comentários:

  1. As palavras que te correm na mente e que transportas para este blog é o que eu faço comigo mesma quando escrevo.. Já que em sentimentos não o consigo demonstrar, escrevo o que sinto para que um dia consiga transformar em gestos o que o no meu pensamento e coração voa.. adorei o texto escreves muito bem és muito directo

    ResponderEliminar